sábado, 10 de janeiro de 2015

30-"Bem-vindo Santiago!"

-Aceitas casar comigo?-Por trás de mim o fogo de artifício tinha começado a aparecer ao pé da Torre Eiffel. Eu não esperava nada daquilo, sorri.

-Como é que eu posso recusar? Mas levanta-te...-Ele levantou-se e podemos olhar nos olhos um do outro.- Sim eu aceito casar contigo!-Coloquei as minhas mãos na cara dele e beijei-o. Assim que separamos os nossos lábios, ele colocou o anel no meu dedo e eu no dele.

-Quero-te para sempre na minha vida!

-Também te quero para sempre na minha!

-Amo-te muito!-Trocamos mais um beijo sem pressas e que mostrava o nosso amor. Ficámos mais alguns minutos agarrados um ao outro a contemplar a vista. Quando já estávamos cansados voltamos ao hotel.

No Dia Seguinte...
Acordamos cedo, tínhamos de voltar. O Enzo tinha de voltar aos treinos e eu precisava de descansar um pouco mais porque a barriga de 8 meses começava a pesar.
-Ontem não falamos numa coisa....-Disse eu, já dentro do avião.

-O que?

-Quando vamos casar?

-Não precisa de ser já. Pode ser depois do menino nascer.

-Não te importas?

-Claro que não tonta.-Disse dando-me um beijo na bochecha.

-Vou partilhar a novidade no meu Instagram, posso?

-Sim!

Uma passagem de ano...diferente mas com muito amor!

-Não tarda nada está tudo a ligar.-Disse o Enzo. E não demorou muito para que o meu telemóvel começasse a tocar. Era a minha irmã mas eu desliguei porque ia gastar muito dinheiro mas ela voltou a ligar e eu atendi.

-Deves pensar que metes aquela foto e que eu aguento até chegares para saber as novidades.-Disse ela do outro lado.

-Bom dia para ti também maninha!

-Lá por ser bom dia para ti, não quer dizer que seja para mim.

-Então que é que se passa?

-Só mal disposta. Mas contá lá como é que foi.

-Foi um pedido de casamento com vista para a Torre Eiffel à meia noite.

-Só o Nico é que não me faz essas coisas.

-Como o Enzo não há mais nenhum.

-O Nico também faz outras coisas boas.

-O Enzo também! Vais ver daqui a 1 mês, se ele não faz coisas lindas.-O Enzo ria-se ao meu lado.

-Tu é que vais ver as coisas linda que o Nico faz, daqui a  2 meses.

-Se for lindo é bom sinal. É sinal que é mais bonito que o pai. Ou pelo menos que tenha um sorriso mais bonito que o do pai.

-Ele está aqui ao meu lado.

-Não faz mal. Ele sabe que é feio. Estou a brincar cunhado!-Gritei para que ele ouvisse do outro lado.

-Ele já está a fazer cara feia, de chateado.

-De chateado? Pensei que ele tinha sempre a cara feia.

-Brinca que à próxima vez que te vir vais ver.

-Estou a brincar!

-Eu vou desligar, senão pagas-me a conta do telemóvel.

-Eu? Tu é que foste curiosa e não soubeste esperar.

-Beijinho mana.-Disse ela desligando.

-Vocês são sempre assim?-Perguntou o Enzo.

-Sempre!


1 Mês Depois (3 de Fevereiro de 2013)...
Último mês de gravidez passou a voar. Ontem fiz a última ecografia e estava tudo óptimo mas ele parecia não querer sair do quentinho da minha barriga. Eu e o Enzo esperávamos ansiosamente pelo momento, tinham passado dois dias da data prevista para o nascimento do Santiago (tinha sido este o nome escolhido pelo Enzo).
Hoje era dia de jogo do Enzo e por, isso, às 18:30h ele deixou-me em casa dos meus pais para depois se juntar à equipa no Seixal. Ele tentava deixar-me o menos tempo possível sozinha.
-Mãe!-Chamei eu com muita calma, uma hora depois de estar em casa dos meus pais.

-Sim filha?-Perguntou, depois de aparecer na sala.

-Isto foram as águas que rebentaram?-Perguntei eu.

-Se não fizeste xixi nas calças, sim é.-Disse ela com um grande sorriso.-Tens dores?

-Pouco.

-Então ainda podes tomar um duche antes de ires para o hospital.

-Sim, vou fazer isso.-Por agora conseguia manter a calma mas sabia que os nervos iam chegar.

-Eu ajudo.

-Tinha de ser quando o teu pai não está não é?-Perguntei falando com a barriga.

-Vais ver que o Santiago vai saber esperar pelo pai.


Algumas Horas Depois...
-As águas rebentaram mas ainda vai ter de esperar umas horas. Vai ter de ter paciência.-Disse a enfermeira encaminhando-se para a porta.

-Desculpe...

-Diga.

-Seria possível eu ir para uma sala com televisão?

-Televisão?

-Sim. É que o meu namorado vai jogar e eu gostava de ver.-Ela olhou para mim um pouco espantada e saiu. Voltou alguns minutos depois a empurrar uma mesa de rodas que tinha uma televisão. Eu sorri-lhe e liguei a televisão, assim que foi ligada à fixa. O jogo contra o V. Setúbal tinha começado à poucos minutos e já estava a ser festejado um golo, do Enzo!


-O pai marcou um golo para ti!-Disse falando para a minha barriga.-E para mim!

-Ao menos fica distraída. Se precisar de alguma coisa, chame.-Disse a enfermeira.

-Obrigada senhora enfermeira.-As contracções estavam a aumentar e eu comecei a ficar nervosa.

-Como é que estás?-Perguntou a minha mãe, uma hora depois.

-Já não consigo ver o resto do jogo. As contracções são muito fortes mãe.

-Calma! Vais ver que daqui a pouco já está cá fora.

-Já ligaram ao Enzo?

-Sim a tua irmã, já lhe deixou uma mensagem.-Nesse preciso momento a enfermeira entrou. Vinha fazer mais um exame.

-Vamos a isto?

-Agora? Já? Tem mesmo de ser?

-Sim. Está na altura do bebé conhecer a mãe.

-Tinhas mesmo de não saber esperar? Vais ter o feitio do teu pai de certeza, é quando ele quer ou não é.-Disse eu falando mais uma vez para a barriga, o que fez toda a gente se rir.-Vamos!

Levaram-me para a sala de partos. O meu maior desejo era que a partir de agora fosse tudo muito rápido, as contracções estavam a ser insuportáveis.
-Na próxima contracção faça força!-Disse a médica.

-Força filha!-Assim fiz e não demorou muito para que ele estivesse cá fora a chorar. Assim que o colocaram no meu colo, apenas consegui chorar. De felicidade, o primeiro filho fruto de muito amor com o Homem que faz de mim a pessoa mais feliz. 

-Bem-vindo Santiago!-Disse eu, tocando-lhe na mão. Eles levaram-no segundos depois. Era hora de voltar ao quarto e esperar pela chegada do Enzo.

Alguns minutos depois de eu estar no quarto, a enfermeira trazia o Santiago com ela. Deixou-o junto à minha cama e saiu.

O feitio do pai. A cara do pai. A dormir como o pai. E nada do pai aparecer.

[ENZO]
O jogo acabou e assim que vi a mensagem da Catarina fui a correr para o hospital. Mas o trânsito era tanto que comecei a desesperar. Meia hora no meio do trânsito e lá consegui chegar ao hospital. Entrei e perguntei à primeira enfermeira que me apareceu.
-Desculpe sabe onde está a Ana, não sei se o meu filho já nasceu...

-Como se chama o seu filho?

-Santiago...se a mãe não lhe trocou o nome à última da hora.

-Sim, já sei. Ao fundo do corredor, quarto 315. Mas olhe as notícias não são as melhores...

-O que é que aconteceu?-Perguntei preocupado.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Olá a Todas!
E aqui está mais um capítulo!
Espero que tenham gostado! 
E aguardo pelas vossas opiniões!
Besos,
Sofia

5 comentários:

  1. Olá!
    Desculpa?! Mas eu tive a ler um pedido de casamento fofinho, uma conversa daquelas lindas (sim, o nico faz coisas lindas de certeza :$) , que o Santi ia nascer para depois as noticias nao serem as melhores?! Nao!! Nao pode ser nada de mal, eu zango-me, unf!
    Já postavas o próximo que isto vai ser sufocante de mais!

    Venha o próximo (já?) que eu quero saber o que aí vem.

    Te quiero, besitos <3

    ResponderEliminar
  2. Terceira vez que escrevo o comentário, vai ser desta que vai ficar!
    Eu tinha começado assim:
    As notícias não são as melhores? Mas por a caso à gravidezes sem tragédia? Lá foi a Ana que desmaiou ou o miúdo quer não respira bem. O miudo que se devia chamar Paris!
    Eles deram à luz. Mais concretamente a Ana deu à luz (não deu ao dragão, nem ao restilo, nem ao bessa! Deu à Luz!) parvoíce à parte, eles tiveram um menino chamado Santiago de Bernabéu ( podia ser bessa ou restelo que nem eram maus nomes x) l
    Keep going! Espero o próximo
    Beijinho Rita :*

    ResponderEliminar
  3. Quero mais.... Tou super curiosa para ver o próximo...

    Fantástico...

    Continua....

    ResponderEliminar